T.I. em Laboratórios: o que gestores esperam da tecnologia?

As despesas mundiais de TI deverão passar de US$ 3,6 trilhões em 2018, um aumento de 4,5% em relação a 2017, de acordo com um recente relatório do Gartner, o que demonstra que o investimento na área de TI nas organizações tem evoluído em conjunto com o surgimento de novas tecnologias.

Ter uma gestão que enxerga a TI como um setor estratégico da empresa, que pode beneficiar todos os projetos e as áreas do negócio, proporciona resultados mais expressivos e maior eficiência na operação.

Segundo demonstrou um recente estudo da Dell, melhorar a eficiência operacional é justamente o que as organizações de saúde mais esperam da tecnologia da informação. Para as empresas desse setor, o ganho de eficiência vem em primeiro lugar, citado por 55% dos entrevistados, seguido por outras demandas: melhorar a segurança (53%), aumentar a produtividade dos funcionários (50%), melhorar os processos operacionais (46%) e reduzir custos (44%).

Vivemos numa era de transformação digital, onde a tecnologia proporciona inteligência para a gestão e aumenta a vantagem competitiva das empresas no mercado. Então, compreender a importância da T.I. na estratégia empresarial é fundamental para a sustentabilidade dos negócios.Eduardo Negri, Gerente de Serviços da Shift.

No setor da medicina diagnóstica, o laboratório digital já é uma realidade. A evolução da tecnologia para este segmento vem proporcionando um aperfeiçoamento das atividades, onde se torna possível obter resultados mais precisos de forma mais rápida e, sobretudo, mais segura e com mais qualidade – tarefas manuais que causam erros, atrasos e perdas, passam a ser suportadas por ferramentas ágeis e seguras.

Para o Gerente de Serviços da Shift, a tecnologia proporciona uma automatização que evita erros humanos e retira o carácter repetitivo das atividades do técnico do laboratório, permitindo que o mesmo adote uma visão da tarefa mais analítica e gerencial do que operacional.

Segundo Edivaldo de Souza responsável pela área de Tecnologia do Sancet Laboratório, de Mogi das Cruzes/SP, hoje temos máquinas mais robustas, que suportam gerar e guardar grandes volumes de informações. “Os dados de clientes podem estar todos interligados com diversas outras plataformas, por exemplo. Vejo um futuro ainda aberto para as novas tecnologias, o mercado está em constante transformação”, comenta.

Os principais objetivos estratégicos da T.I. em um laboratório de análises clínicas são dar apoio ao diagnóstico e fazer com que pacientes possam entender de maneira clara e objetiva os dados clínicos de um resultado. Além disso, através da T.I. se obtêm dados que ajudam as organizações a se planejar perante seu público e mercado, onde tomadas de decisões importantes são sustentadas e colaboradores internos têm suas tarefas facilitadas no dia a dia.Edivaldo de Souza

Newsletter



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *