Gestão de laboratório: entenda como o Business Intelligence pode ser um aliado

Você já ouviu falar em Business Intelligence (BI)? Trata-se de um conceito que está cada vez mais sendo utilizado e debatido no meio empresarial, nas mais diversas áreas de negócios. A ideia é que a tecnologia possa nortear os diretores nos mais diversos sentidos, para que as tomadas de decisão tenham mais embasamento nas organizações.

No ramo da saúde, por exemplo, a gestão de laboratório pode se beneficiar do BI de diversas formas e é sobre esse assunto que falaremos neste post. Ficou interessado? Então, siga a leitura e confira agora mesmo!

Entenda o Business Intelligence

Antes de entrarmos na questão do Business Intelligence para o segmento laboratorial, convém que você compreenda um pouco mais sobre esse conceito, de um modo geral.

O Business Intelligence, que também pode ser conhecido pela tradução livre “Inteligência de Negócios”, corresponde à utilização de ferramentas que auxiliam na transformação de dados brutos em informações válidas para o negócio. Tais informações podem ser traduzidas na forma de indicadores, que são capazes de medir os processos internos das empresas e identificar se elas estão ou não atendendo às necessidades de seus usuários, por exemplo.

As informações obtidas com o BI precisam ser utilizadas de forma estratégica, para que melhorias possam ser desenvolvidas na organização.

De modo geral, podemos dizer que o Business Intelligence é baseado em três pilares:

  • coleta de dados: nessa etapa, são coletados os dados que serão analisados em um negócio;
  • organização e análise: aqui, todos os dados captados devem ser organizados de forma estratégica para que possam servir como base para a tomada de decisões;
  • ação e monitoramento: depois de terem os dados organizados, os gestores das organizações precisam monitorá-los e utilizá-los como base para a tomada de decisões.

A partir do Business Intelligence, podem ser aplicadas, na empresa, determinadas metodologias, como o ciclo PDCA, que orienta, de forma cíclica, o andamento de um projeto organizacional — Plan (planejar), Do (execucar), Check (verificar) e Action (agir).

Saiba como o Business Intelligence vem impactando a área da saúde

Quando falamos especificamente sobre a área da saúde, o Business Intelligence pode ser utilizado para mensurar o atendimento ou a exigência do usuário para aprimorar o trabalho prestado pela instituição, que pode ser uma clínica, um hospital, um consultório médico ou um laboratório.

No caso da gestão de laboratórios, para utilizar o BI de maneira estratégica, recomenda-se conhecer a chamada jornada do paciente. Além disso, alguns pontos fundamentais devem ser seguidos. Entenda na sequência!

A jornada do paciente e a gestão de laboratórios

A jornada do paciente em um laboratório se divide em três etapas:

  • pré-analítica: diz respeito a todos os processos realizados antes dos exames, como orientações para coleta, ida até o local em que é feito o exame, entre outros processos;
  • analítica: nessa fase, realiza-se o exame;
  • pós-analítica: é o período que vem depois da realização do exame, envolvendo a liberação do resultado e as orientações, de modo geral.

Para que um laboratório utilize o Business Intelligence de maneira adequada, é preciso que sejam gerados indicadores em cada uma das etapas da jornada do paciente. Devem ser observados erros, por exemplo, para evitar que se repitam em outras ocasiões.

Erros de cadastro, demora no atendimento, falta de qualidade na realização do exame e atrasos na entrega dos resultados são exemplos de falhas que precisam ser monitoradas na jornada do paciente a fim de melhorar a gestão de laboratórios.

Além desses erros, existem outros indicadores que podem ser estrategicamente monitorados, como é o caso dos financeiros e dos demográficos. Tudo isso faz com que o processo de tomada de decisão seja mais eficiente.

Os pontos fundamentais para implementar o Business Intelligence na gestão de laboratórios

A implementação do Business Intelligence em um laboratório implica uma mudança nos processos operacionais, visando, assim, a aprimorar a gestão e a oferecer dados para orientar a tomada de decisões. Para isso, alguns tópicos fundamentais devem ser seguidos. Veja quais são eles!

Conscientização dos colaboradores

É importante criar uma cultura para a utilização dos indicadores por todos os colaboradores. De tal modo, os funcionários devem ser orientados a como utilizar os dados e indicadores em suas rotinas diárias.

Definição de indicadores

É essencial que os indicadores sejam bem definidos. Além disso, devem ser escolhidas as fontes de dados e as unidades de medida, como métricas ou periodicidade.

Processamento dos dados

Nessa etapa da implementação, os dados são analisados e organizados em forma de relatórios.

Divulgação de dados

Aqui, os dados devem ser divulgados para as lideranças e os colaboradores, para que todos tenham conhecimento sobre a realidade do laboratório de análises clínicas.

Implementação de melhorias

Finalmente, a partir dos resultados encontrados nas etapas anteriores, melhorias são implementadas no laboratório, de acordo com a análise de cada processo e etapa da atividade laboratorial.

Assim, podem ser definidos indicadores como o Tempo de Atendimento Total (TAT), um dos indicadores mais importantes e competitivos do setor.

A partir dessa análise, é possível identificar se o resultado está sendo entregue em tempo hábil ou não. Caso não esteja, medidas estratégicas podem ser tomadas!

Conheça as soluções Shift e faça com que o seu laboratório saia na frente

Quando falamos em Business Intelligence para gestão de laboratório, a etapa de definição de dados é a mais demorada e custosa. É nesse sentido que o Shift pode ajudar, por meio de nossa ferramenta Shift BI. Com esse recurso, o usuário não precisa se preocupar com essa fase, uma vez que os indicadores já estarão definidos. Isso faz com que os gestores de laboratórios possam ganhar tempo para as decisões estratégicas.

O uso das soluções Shift faz com que os laboratórios possam eliminar atividades burocráticas, no que se refere à montagem de indicadores. Assim, o trabalho do gestor deixa de ser operacional e torna-se mais estratégico, gerando um ciclo de melhoria contínua para o negócio.

Se você leu o nosso artigo até aqui, sabe como o BI pode ser um verdadeiro aliado na gestão de laboratório. Além disso, está ciente de que nós, da Shift, podemos auxiliar nesse sentido.

Para saber mais sobre nossas ferramentas para Business Intelligence, não deixe de entrar em contato conosco agora mesmo. Forneceremos todas as informações que forem necessárias.

Newsletter



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *