Como realizar uma gestão de qualidade eficiente em laboratórios?

A gestão de qualidade é algo essencial para as empresas que buscam aprimorar os seus produtos e serviços. Quando falamos em laboratórios de análises clínicas, não é diferente! Porém, existem algumas características que são exclusivas para a administração desse tipo de negócio.

Neste post, vamos explicar o que é e como funciona a gestão de qualidade em laboratórios, quais são os seus principais benefícios e como realizá-la de forma adequada. Siga conosco e obtenha todas essas informações agora mesmo!

O que é gestão de qualidade em laboratórios?

De forma geral, a Gestão da Qualidade tem como principal objetivo definir e garantir padrões dentro dos processos de uma organização, visando a plena satisfação dos seus clientes e impulsionando a empresa em busca de melhoria continua. Assim sendo, em um laboratório de analises clínicas, o processo é dividido em três etapas: pré-analítica, analítica e pós-analítica. A seguir, explicaremos cada uma delas!

 

Fase pré-analítica

Nessa etapa, o laboratório precisa garantir que seus clientes entendam e realizem os preparos necessários para a execução de seus exames. O preparo adequado é fundamental para o sucesso da análise. Por isso, ter processos mapeados, procedimentos descritos com clareza e o apoio de um software completo, faz com que os colaboradores tenham todas as informações necessárias para que os atendimentos sejam realizados de forma excelente.

A padronização das coletas, manipulação, preparo e envio dos materiais para a posterior realização das análises também é essencial para a estabilidade das amostras, contribuindo para que os resultados sejam ainda mais precisos.     

Fase analítica

Após a realização da coleta e o encaminhamento adequado das amostras ao setor técnico, a fase analítica deve trabalhar com controles apurados de processamento, e também garantir o controle de qualidade dos seus reagentes e das máquinas utilizadas para realizar os exames. Por isso são essenciais as calibrações, manutenções preventivas e a realização do controle de qualidade interno e externo, uma vez que, dessa forma, é possível comparar o resultado do seu laboratório com o de outros estabelecimentos.

Fase pós-analítica

Finalmente, na fase pós-analítica, é feita uma conferência de tudo o que foi realizado até então, para que, finalmente, o resultado dos exames seja assinado e disponibilizado para os pacientes. Assim, eles poderão mostrar os laudos aos seus médicos, que farão diagnósticos e proporão os tratamentos mais adequados para cada situação.

Quais são os principais benefícios que ela oferece?

A gestão de qualidade em laboratório proporciona diversos benefícios para os estabelecimentos. Entre os principais, podemos destacar os seguintes:

  • redução de custos;
  • aumento da satisfação dos clientes;
  • aumento da produtividade; entre outras.

Além disso, a partir do mapeamento dos processos, é possível também identificiar e agir para a diminuição da probabilidade de ocorrência de erros e falhas que podem trazer diversos transtornos para os pacientes e os profissionais. São exemplos de situações de risco eliminadas com uma boa gestão de qualidade:

  • o preparo inadequado dos pacientes;
  • a perda de rastreabilidade do processo;
  • a exposição de clientes e profissionais a riscos biológicos desnecessários; entre outras.

Como realizá-la de forma adequada?

Existem algumas boas práticas que garantem que os processos de gestão de qualidade sejam mais eficientes em um laboratório. A seguir, vamos comentar cada uma delas. Acompanhe!

Mapeie e padronize os processos

É fundamental a realização do mapeamento e padronização de todos os processos do laboratório, para que todos os colaborades saibam exatamente como desempenhar as suas atividades. Dessa forma, todos poderão entender claramente quais são as entradas e saídas de seus processos; quem são os seus clientes e fornecedores; os prazos que envolvem cada processo; os seus direitos e deveres; e quais são as suas atividades que mais agregam valor a toda a jornada do cliente. 

A partir do mapeamento e da padronização, é possível trabalhar com diversos conceitos direcionados a melhoria continua e incremento da segurança dos processos, dessa forma evitando erros e falhas que impactem os clientes e profissionais de saúde. Assim, consegue-se ter uma gestão de qualidade mais eficiente.

Siga as metas internacionais de segurança do paciente

Também é necessário o esforço para que todos os profissionais do laboratório sejam conscientizados em relação as metas internacionais de segurança do paciente. Lembre-se: desenvolver uma liderança forte, é investir em melhoria continua! 

Implemente uma cultura voltada para a tecnologia

A gestão de qualidade deve ser direcionada para uma busca incessante de novas tecnologias, uma vez que, hoje em dia, existem diversos recursos que podem ser implementados para facilitar a padronização dos processos, para automatizá-los, e também para a obtenção de informações cruciais, que suportarão tomadas de decisões mais acertivas e baseadas em dados.

Utilize as melhores ferramentas para a execução dos processos

Existem ferramentas que são extremamente importantes e simples de usar, que servem para documentar e padronizar como cada setor do laboratório funciona. Uma delas, por exemplo, é o mapa de contexto.

Através do mapa de contexto, é feito um levantamento sobre como os processos de um laboratório interagem entre si, com o ambiente externo e stakeholders. Dessa forma, é possível compreender, de maneira mais ampla, possíveis lacunas de desempenho e ruídos na comunicação entre todas as partes interessadas. A partir do mapa de contexto, podemos avançar efetivamente para o mapeamento individual de processos e obtenção de indicadores de desempenho.

O uso do Shift LIS, por exemplo, contribui para que todas as informações permaneçam no mesmo local. Nele, é possível fazer agendamentos, listar os exames que cada paciente fará, orientar as pessoas de forma adequada, ter rastreabilidade, entre outros.

Outro recurso interessante é o aplicativo Onlife, que traz para o laboratório a possibilidade de que o paciente dê notas e faça uma pesquisa de satisfação personalizada. Assim, com base nos resultados, melhorias podem ser implementadas.

Também é importante salientar que a gestão de qualidade é baseada em informações. Por isso, contar com uma ferramenta que apresenta indicadores é um grande diferencial. Exemplo disso é o Shift B.I, que monitora tudo o que está sendo feito no laboratório e fornece dados.

Gostou do nosso artigo? Se você seguir todas essas orientações, temos a certeza de que conseguirá realizar uma boa gestão de qualidade em seu laboratório, aumentando a sua credibilidade e conquistando a preferência dos pacientes.

A Shift está à disposição para contribuir para os melhores recursos tecnológicos que colaboram para esse processo. Entre em contato conosco agora mesmo e tire as suas dúvidas sobre os nossos produtos e serviços!

Newsletter



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *