Indicadores estratégicos na medicina diagnóstica: o que são e como defini-lo

  • 04 de janeiro de 2023

 

O setor de saúde e o mundo estão passando por profundas transformações – e a velocidade com que essas mudanças têm ocorrido provoca impactos substanciais no aumento da competitividade do mercado.

Com a evolução do setor de medicina diagnóstica – já no presente, mas ainda mais no futuro -, os laboratórios e Centros de Diagnósticos que tomarem a decisão correta, com maior agilidade, baseadas em dados e indicadores estratégicos estarão em vantagem.

Isso porque, potencializados pela tecnologia, esses valiosos recursos apoiam a gestão estratégica e análise crítica de processos, na adequação às normas de acreditação e, consequentemente, na satisfação dos pacientes.

Mas, o que são de fato indicadores estratégicos? Como um laboratório deve escolher ou determinar um indicador?  Em que momento eles devem ser analisados? É sobre isso que vamos falar no artigo de hoje!

Entendendo o que são indicadores estratégicos

Os indicadores estratégicos nada mais são do que sinalizadores que ajudam as empresas a atingirem suas metas, acompanharem seu desempenho e a aprimorarem os seus processos.

Eles são construídos por meio da junção de dados que serão processados para guiar as tomadas de ações, sejam elas estratégicas, táticas ou operacionais.

Quando analisados criticamente, os indicadores estratégicos ajudam a garantir o resultado em uma organização, atuando tanto na gestão de suas atividades e trazendo eficiência operacional, como na diferenciação da oferta de serviços cada vez mais rápidos, cômodos e personalizados. Importantes tendências de consumo da era em que vivemos.

Os indicadores estratégicos não servem apenas para uma análise crítica dos resultados que estão abaixo da meta e necessitam ser alavancados. Através deles é possível identificar pontos positivos e negativos, estabelecer melhorias em gargalos que possam existir na operação e validar as ações que já estão em curso e apresentam um desempenho favorável.

Desta forma, é importante garantir que os indicadores não estejam restritos apenas ao nível estratégico. Eles devem ser compartilhados em toda a hierarquia. É o que, no mercado, denomina-se democratização da informação.

Como determinar um indicador estratégico?

Agora que o conceito, bem como a aplicação, estão mais esclarecidos, é importante ter a ciência de como determinar e eleger um indicador estratégico, bem como estruturá-los.

Os famosos DREs (Demostrativos de Resultados) podem ser usados certamente como uma métrica. Porém, existem inúmeras outras possibilidades. Os indicadores de desempenho laboratorial, por exemplo, são parâmetros quantitativos para mensurar a eficiência e progresso dos processos. Eles possibilitam a definição de metas, o acompanhamento dos resultados e a tomada de ações para melhoria dos procedimentos.

Em especial para quem está iniciando no universo dos indicadores estratégicos, dispor de uma ficha técnica de cada um deles é mandatório. Em outras palavras, é importante documentar a regra de negócio e realizar um alinhamento com gestores e toda a empresa.

Por se tratar de uma ferramenta que suprime as dúvidas a respeito do significado de cada indicador, a ficha técnica deve se é um indicador estratégico, tático ou operacional; e o que ele está monitorando – uma  estrutura de processos ou os  resultados, entre outras possibilidades.

A fórmula de cálculo é outro item que não pode ser extinto dessa ficha técnica.  Afinal, é fundamental que seja possível dar sequência em uma atividade caso algum membro da equipe não esteja disponível por alguma razão e, por isso, é tão importante que a regra esteja acessível para ser replicada, seguindo os mesmos padrões anteriores.

Em outras palavras, define-se a regra do jogo, olhando os aspectos mencionados acima e também se atentando a origem da informação. É preciso saber de onde vem a base de dados e a amostragem utilizada. Aliás, garantir uma amostragem robusta é condiçãosine qua non”. É ela que determinará como esse indicador será monitorado, com qual periodicidade, entre outros parâmetros.

Começando a democratização da informação

Como já dissemos acima, os indicadores precisam ser disseminados por toda a organização. Por isso, escolher a melhor maneira de apresentá-los para as pessoas, áreas e unidades é um trabalho que deve ser realizado logo no início do processo. Afinal, para garantir que os objetivos sejam atingidos, o envolvimento deve ser de todos os níveis, táticos e operacionais, seja na definição ou na utilização.

Obviamente, surgem muitas dúvidas também nesse momento. Como serão consolidadas essas representações? Através de um gráfico? Que tipo de gráfico?  A melhor forma de expressar é em número absoluto? Em percentual?

Essas considerações e preocupações são muito genuínas e, quando as trazemos  especificamente para os laboratórios e centros de diagnósticos, é primordial considerar todas as possíveis variações dos indicadores.

Quais são as considerações para os centros de diagnósticos?

Premissa básica: é preciso dominar e conhecer todo o processo.

  1. Tudo começa na solicitação do médico, passando pela entrada do paciente e orientação de coleta.
  2. Em seguida, a jornada avança para a parte analítica,  momento da liberação de laudo e a interpretação para chegar-se ao desfecho clínico.
  3. Depois a parte do retorno do laudo ao paciente, o atendimento etc.

Qual dessas fases devem ser monitoradas? A resposta é simples: todas elas devem ser monitoradas e os indicadores estratégicos devem ser analisados em todas as etapas do processo laboratorial, do atendimento ao paciente à entrega de resultados.

Antes eram feitos controles de  laboratórios apenas com indicadores da fase analítica, de controle interno e externo. Porém, é sabido que os principais erros laboratoriais ocorrem na fase pré-analítica. Algumas literaturas e artigos mostram que de 46% a 68,2% dos erros estão na fase nesta fase,  7% a 13%, na fase analítica, e de 18,5% a 47% na fase pós-analítica.

Em suma, olhar para indicadores pré-analíticos, analíticos e pós-analíticos é essencial para o aperfeiçoamento contínuo, seja para garantir a satisfação do cliente ou que os laudos sejam corretos e fidedignos. Mesmo o laboratório tendo ampla experiência e longevidade no mercado, é fundamental estar sempre em busca melhorias e inovações.

Pensando nisso, preparamos um Guia Completo de Indicadores de Desempenho. Acesse aqui e avance nessa jornada! 


imagem

Artigos relacionados

Controle de Qualidade Interno no contexto da RDC 786/23

O Controle de Qualidade Interno (CQI) desempenha um papel importante no dia a dia de um laboratório. Ele é uma peça-chave para garantir a confiabilidade e precisão dos resultados analíticos e possibilita o monitoramento contínuo do desempenho dos métodos laboratoriais. Normas de acreditação, como a PALC e, mais recentemente, a nova RDC 786/2023, demandam implementar […]

Gestão de riscos em laboratórios e a RDC 786/23

Neste conteúdo, vamos falar sobre gestão de riscos em laboratórios de Análises Clínicas sob o olhar da RDC 786/23, refletindo sobre planos de contingência, monitoramento de indicadores e muito mais! Continue a leitura para ficar por dentro do tema. Em primeiro lugar, vamos parar para imaginar quantas transformações aconteceram em um intervalo de 18 anos […]

RDC 786/23 e Gestão de Indicadores

Descubra o impacto da RDC 786/23 na gestão de indicadores de desempenho. Veja também como um correto acompanhamento desses indicadores pode te ajudar a melhorar os resultados do seu negócio. A RDC 786/23 trouxe consigo vários pontos que passaram a exigir, além de adequações de processos, também o cumprimento de algumas exigências por parte dos […]

imagem

Destaques

Controle de Qualidade Interno no contexto da RDC 786/23

Índice de adesão à RDC 786/23 cresce após consultoria da Shift

Gestão de riscos em laboratórios e a RDC 786/23

imagem

Assine a nossa newsletter?

Quer ficar por dentro das novidades sobre soluções em tecnologia para saúde? Cadastre-se na News da Shift e atualize-se periodicamente na caixa de entrada do seu e-mail.

Acompanhe a Shift nas redes sociais!