• 10 de Novembro de 2020

 

Um dos maiores desafios de quem atua na área de saúde é tornar o atendimento humanizado e oferecer um acolhimento diferenciado, o pilar da humanização na saúde. Nesse sentido, alcançar essa meta é a missão de todos os gestores, sobretudo dos estabelecimentos do nicho de medicina diagnóstica.

Mediante isso, a proposta deste artigo é explicar o que é a humanização na saúde, qual a sua relevância e como esse conceito impacta diretamente a relação com o paciente. Veja, também, qual é o papel do gestor nesse sentido e quais as melhores medidas para humanizar o atendimento. Boa leitura!

O que é humanização na saúde?

Esse é um conjunto de práticas, estratégias e recursos que visam a promoção da qualidade no atendimento ao paciente. Nessa proposta, questões como a atenção às necessidades dele, a escuta qualificada e um acolhimento voltado para minimizar o sofrimento do sujeito são primordiais. Nessa perspectiva, a ideia é tratar cada paciente sob a ótica biopsicossocial, respeitar sua realidade e considerar, além das condições físicas, os aspectos emocionais e sociais que influenciam sua trajetória.

Partindo desse pressuposto, pode-se afirmar que a humanização na saúde consiste em processos com objetivos bem mais amplos e que devem ser inseridos na realidade de cada instituição. Defende, pois, a necessidade de uma visão integral da saúde e de elevar a qualidade dos serviços. Possibilita, ainda, a criação de um vínculo firme e respeitoso entre os colaboradores, as equipes médicas e os usuários do sistema.

Contextualmente, o conceito de humanização está atrelado a práticas e recursos capazes de promover a ampliação do relacionamento e fortalecer os laços entre profissionais e cidadãos. Ou seja, humanizar os serviços de saúde depende de uma visão que considera o indivíduo em sua totalidade, mas a sobrecarga de tarefas e as múltiplas responsabilidades dificultam a construção desse olhar sobre o paciente e suas necessidades.

Vale destacar, ainda, que o processo de humanização não depende apenas dos funcionários ou do corpo clínico. Fatores como a infraestrutura e as condições de trabalho influenciam bastante a qualidade dos serviços. Tais questões não comprometem tanto a experiência do paciente como a produtividade e o engajamento dos próprios colaboradores.

O que torna a humanização na saúde tão essencial?

Conforme a proposta do Ministério da Saúde (MS), o conceito de humanização na saúde está ligado aos três princípios defendidos pela Política Nacional de Humanização, a saber:

  1. inseparabilidade entre a atenção e a gestão dos processos de produção de saúde;
  2. transversalidade e autonomia;
  3. e protagonismo dos sujeitos.

Nesse contexto, a busca pelo aprimoramento dessa prática exige constante atualização das instituições, como clínicas médicas, laboratórios e consultórios, e o desenvolvimento de habilidades que permitam a adequação da missão e da política institucional de cada estabelecimento. Por isso, um dos maiores entraves à melhoria dos processos de humanização na saúde é a compreensão das necessidades específicas de cada público.

Entretanto, compreender a relevância da prática da humanização na saúde gera benefícios substanciais tanto para a gestão quanto para as equipes e pacientes. Entre essas vantagens, as mais importantes são:

  • promove a fidelização do paciente;
  • ajuda a desenvolver a confiança mútua;
  • contribui para elevar a eficácia do cuidado com o paciente;
  • ajuda a melhorar as condições de trabalho dos colaboradores;
  • auxilia na compreensão dos aspectos emocionais dos pacientes;
  • favorece a memória afetiva e auxilia na construção de uma relação positiva;
  • estabelece um vínculo de confiança e de respeito entre profissionais e pacientes;
  • auxilia na percepção de que há ganhos recíprocos quando o acolhimento é humanizado;
  • influencia o processo de reabilitação física, mental e emocional dos pacientes.

Como a gestão pode impulsionar a humanização na saúde?

O conceito de humanização na saúde está inserido no nosso vocabulário há bastante tempo. No entanto, as dificuldades enfrentadas na efetivação dessas práticas na rotina dos serviços ainda desafiam a gestão. Sobretudo de quem atua em laboratórios, já que o nível de satisfação dos pacientes que recebem a assistência depende, entre outras questões, do grau de satisfação de quem oferece ou executa os serviços.

Elencamos algumas práticas que podem ser úteis à melhoria da qualidade no processo de humanização. Confira!

Treinar funcionários

Um dos pontos-chave para superar os desafios impostos pela proposta de humanização na saúde é treinar os funcionários e prepará-los para as mudanças necessárias. Então, invista em sua equipe para que ela possa ter condição de prestar um atendimento humanizado e que atinja a expectativa de seus pacientes.

A meta é promover a integração entre os sujeitos, perceber o que os incomoda e propor alívio e conforto nos momentos de maior fragilidade. Contudo, para atingir esse patamar e proporcionar um cuidado mais humanizado, seus colaboradores deverão ser capazes de aliar a técnica à qualidade.

Melhorar a comunicação interna e externa

A humanização exige que todos os processos sejam otimizados, ágeis e efetivos. Nesse aspecto, buscar formas de integrar a comunicação interna e externa e torná-la mais eficazes é essencial. A comunicação funcional contribui para melhorar a qualidade e torna o relacionamento mais sólido e eficiente.

Utilizar a tecnologia

As ferramentas devem ser exploradas para otimizar todas as etapas do atendimento e oferecer um serviço mais moderno, ágil e eficaz. Como os avanços da tecnologia nas últimas décadas, é possível promover uma boa gestão de serviços e processos e melhorar a eficiência operacional. Há softwares de gestão específicos para facilitar a rotina dos laboratórios e otimizar o trabalho da gestão.

Como unir a tecnologia à humanização?

Para superar as limitações que dificultam o processo de humanização, é necessário apostar em alternativas que representem soluções mais viáveis e práticas. Nesse sentido, as soluções da Shift podem ajudar na agilidade de atendimento, assim como em todas as etapas desse processo. Contar com essa possibilidade é essencial para inovar os serviços e melhorar a experiência do paciente.

Soluções como a Onlife são essenciais para otimizar a comunicação entre laboratório e pacientes, um dos princípios mais importantes do processo de humanização. A proposta da Shift é aliar tecnologia à humanização e, desse modo, alavancar o potencial das organizações, oferecendo velocidade, capilaridade, melhoria do desempenho, empoderamento e autonomia.

Pode-se concluir, por fim, que a gestão de um laboratório tem um papel relevante no processo de humanização na saúde. Assim, é preciso utilizar ações favoráveis à humanização desde o atendimento receptivo, passando pela coleta do material até a liberação dos laudos. Além de fortalecer a imagem da instituição, essa prática ainda influencia o alcance de bons resultados terapêuticos.

Agora é com você: precisa de mais orientações para humanizar a relação com o seu paciente? Entre em contato com a Shift e conheça nossas soluções!


imagem

Artigos relacionados

O que torna a experiência do cliente Shift incrível? Entendendo todo o processo que pauta o cuidado com o cliente

A experiência do cliente, ou Customer Experience (CX) abrange todas as impressões que o cliente adquire antes, durante e após a aquisição de produtos ou serviços. Isso compreende todos os tipos de interações, sejam elas diretas ou indiretas, físicas ou virtuais, que ocorrem entre o comprador e o fornecedor. Essa é uma tendência que tem […]

Customer Success: como garantir o sucesso na jornada do paciente nos laboratórios

Vivemos na era da experiência e, portanto, olhar com cuidado para a jornada do paciente nos laboratórios é fundamental para garantir a qualidade dos serviços prestados, promover a fidelização do cliente e se destacar em um mercado cada vez mais competitivo. De acordo com pesquisa da ThinkJar, 66% dos consumidores trocam de marca devido a […]

Experiência do paciente: como lidar com os desafios e ter sucesso na era do paciente como consumidor

Paciente é cliente? Como lidar com os desafios desse dilema e garantir uma boa experiência em toda jornada.

imagem

Destaques

Controle de Qualidade Interno no contexto da RDC 786/23

Índice de adesão à RDC 786/23 cresce após consultoria da Shift

Gestão de riscos em laboratórios e a RDC 786/23

imagem

Assine a nossa newsletter?

Quer ficar por dentro das novidades sobre soluções em tecnologia para saúde? Cadastre-se na News da Shift e atualize-se periodicamente na caixa de entrada do seu e-mail.

Acompanhe a Shift nas redes sociais!